Archive for the ‘Pensamentos’ Category

O Rio de Deus

Agosto 29, 2007

 

Antes de tudo obrigado pelos comentários. O motivo de demorar a postar é porque as vezes tenho tantas idéias, que pra expressar através de palavra fica difícil.  Fiquei com receio de colocar esse texto. Porque queria esperar uma melhor oportunidade melhor, mais creio que tudo acontece na hora certa. É um pouco extenso mais vale apena.

Base bíblica: Ezequiel 37
 
A VERDADEIRA ADORAÇÃO (SUBMISSA) TRÁS O RIO DE DEUS
            Esse texto de Ezequiel fala do Rio de Deus, o Rio purificador, que flui do trono de Deus, e por onde passa, tudo se transforma. O primeiro verso fala que o Rio flui da Casa de Deus, do templo, e o templo nada mais é que o local de adoração. Quando adoramos ao Senhor, nós construímos no templo, que somos nós, um trono de adoração ao Senhor, e é desse trono construído que flui o Rio de Deus. Isso é maravilhoso! Não existe outro lugar por onde o Rio possa fluir, a não ser do próprio trono de Deus, e esse trono é construído com a nossa adoração, não há Rio de Deus onde não há adoração. Quando adoramos ao Senhor, uma adoração verdadeira, o trono de Deus é construído, e desse trono flui o Rio.
            Não existe o termo “adoração falsa”, pois o próprio termo “adoração” já trás em si uma significação de algo verdadeiro, mas se eu posso falar em uma “adoração falsa”, eu posso afirmar que é aquela manifestação que não libera o Rio de Deus. Existe muita “adoração seca” por ai, de gente que faz por fazer, uns por obrigação, outros pra serem vistos, mas não são todos que fazem realmente para adorar ao Senhor. A adoração falsa não libera o Rio de Deus, pode liberar emoções, ou mesmo bons “resultados estéticos”, e muitos elogios. O que faz diferença na adoração ungida, é justamente o liberar do rio que transforma.
            São muitos hoje os estudos sobre adoração, são muitos os significados para o termo, eu mesmo já vi muitas definições, mas se nós formos na origem do termo “adoração”, nós veremos que vem do grego “Proskuneo”, que significa “reverenciar, render-se, prostrar-se”, ou seja, adorar é ter uma atitude de entrega à vontade de Deus, que é o alvo da nossa adoração. A adoração verdadeira é aquela que se submete a vontade do Senhor, ou seja, não é necessário apenas que você se entregue intensamente nos “momentos de adoração”, mas você precisa estar submisso à autoridade divina, submisso às autoridades que Deus instituiu sobre você. Não existe como construir um trono e liberar o rio de Deus, tendo uma atitude rebelde diante dEle, e diante daquilo que Ele determinou pra sua vida. A submissão a Deus, é a chave da adoração verdadeira.

O RIO DE DEUS É LIVRE
            O texto de Ezequiel continua contando que o rio que saia do altar, creio que como pequenas gotas que iam se juntando, juntando, e aos poucos se avolumando até formar um grande rio, que corria para todos os lados, e por onde passava cobria de águas o que estivesse no caminho. Jesus, em João 7:38-39, comparou esse mover ao vento, que não se sabe de onde vem, não se sabe pra onde vai, mas ele flui. O Rio de Deus é assim, nós não podemos definir o curso dele, nós não podemos definir aonde o Rio do Espírito vai passar e aonde ele não vai passar: o rio de Deus simplesmente flui do trono que é construído através da adoração.
            No prosseguir do texto nós lemos Ezequiel começando a andar dentro do rio de Deus, e está escrito que as águas eram rasinhas, e mais adiante as águas subiam, subiam, até o momento em que ele viu que não era mais possível atravessar o Rio com os pés no chão, mas apenas a nado. Naquela visão Ezequiel precisava tomar uma decisão: ou ele voltava pro rasinho, ou ele se entregava e ia mais fundo no Rio de Deus. Essa visão é muito forte! Apesar do Rio ser livre, apesar dele fluir independentemente da nossa vontade, somos nós que decidimos em que nível de Rio fluiremos, se vamos prefirir nos refrescar no rasinho, ou se vamos ter a ousadia de sair da nossa zona de segurança, daquilo que temos como seguro pra nós mesmos, e se soltar no rio de Deus, deixando que ele nos leve aonde o Espírito quer nos levar. A escolha é sua meu irmão, nós somos verdadeiros adoradores, e portanto as águas do Espírito de Deus são reais na nossa vida, mas existem níveis de água, e nós temos todo o poder de escolha para decidir em quais níveis vamos fluir dentro do Rio, se no rasinho, no médio, ou nas águas que só podem ser atravessadas a nado, sem o nosso auto-controle.
            Ir a águas mais fundas, é quando você está atento para fazer “coisas loucas”, coisas novas que o Espírito Santo de Deus quer te direcionar. Ir a lugares onde você nunca foi, falar palavras da parte de Deus que de você mesmo, não haveria coragem pra falar, ter uma dimensão das coisas espirituais que você não teria em águas rasinhas. Isso é ir fundo no Rio de Deus! E escolher ir fundo, significa abrir mão do rasinho, abrir mão da zona de conforto e controle pra se entregar ao imprevisível das águas profundas.

O RIO DE DEUS TRÁS VIDA
            Nos versículos 7 a 9 de Ezequiel 47, Ezequiel continua narrando que por onde o Rio de Deus passa, tudo ganha vida. Na terra seca nascem árvores frutíferas, e as águas estéreis, quando são invadidas pelo Rio, ficam cheias de peixe, peixes que são vida. Esse é outro atributo do Rio de Deus! Por onde ele passa, nas situações de morte, de sequidão, de desespero, trás vida, trás frutos abundantes (doze colheitas por ano, uma por mês!). As paisagens secas, ficam exuberantes quando passa o Rio.
            Hoje em dia existem muitas igrejas estéreis, igrejas onde não há fruto. Porque? Por que o Rio de Deus não flui! Onde o rio flui, há muito fruto, muito peixe. Você quer que o seu ministério dê fruto de vida querido irmão? Então a sua preocupação deve ser essa: ser uma fonte para liberar o Rio de Deus na vida das pessoas. A sua família será salva, quando você liberar o Rio de Deus dentro da sua casa. Dentro do nosso círculo de amigos, no mundo, ou na nossa própria vida, nós vemos muitas vezes situações desesperadoras, de morte, “casos impossíveis”, ao ponto de muitas vezes questionarmos: “Deus, como eu reajo diante dessas situações? Será que tem jeito?” Tem querido irmão! Tudo que você precisa fazer é ser um instrumento para liberar o Rio de Deus, pois por onde ele passa, a vida e a esperança chegam. A terra árida fica fértil, árvores crescem, e além de muitos frutos, a visão termina com Ezequiel dizendo que as folhas da árvore são remédio.
O RIO DE DEUS CURA AS NAÇÕES

No final da Bíblia, existe um texto muito interessante, que mais uma vez demonstra a sintonia, e a inspiração do Espírito real na Palavra de Deus:

“Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro. No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas da árvore são para a cura dos povos.” (Ap 22:1-2)

            Ai está em Apocalipse! O mesmo Rio, que flui do trono de Deus, nas suas margens está a árvore da vida, que também frutifica uma vez por mês, e as folhas da árvore são para a cura das nações.
            Aleluia! O Rio de Deus não é apenas para a nossa cura, não é apenas pra fluir nas nossas igrejas, na verdade o Rio que saí dos altares de adoração é para a cura de todos os povos da terra. A nossa função é liberar o Rio de Deus para que os povos sejam curados. E diante desse chamado, eu olho pra mim e pergunto: eu Senhor? mas as gotinhas que fluem do meu manancial serão suficientes para curar todos os povos da terra? Realmente a minha fé é pequena para que através de mim os povos sejam curados! No entanto, se as gotinhas de águas que fluem da minha vida, se juntarem às gotinhas de água que fluem da tua vida, e dessa forma na vida dos outros adoradores… então o Rio de Deus vai fluir nos povos, da nossa terra, até os confins do nosso planeta.

QUEM VAI LIBERAR O RIO DE DEUS?
            Você já sabe que o Rio de Deus é real, é livre, flui do altar, trás vida, cura as nações. Eu hoje só posso deixar o desafio pra você querido irmão: quem vai ser esse adorador que vai liberar o Rio de Deus?
            Eu já tomei a minha decisão! Tudo que eu fizer apartir de agora, seja escrever, seja cantar, seja ser filho, ser aluno, ser paulistano, ser brasileiro, tudo o que eu sou e faço, vai acontecer com o propósito de liberar o Rio de Deus no mundo. Eu te desafio: seja você esse adorador verdadeiro, submisso, que vai liberar o Rio de Deus, e ver AS ÁGUAS transformando, o que nunca se viu ou se imaginou ser transformado.

Libere o Rio!

Fluindo no Rio de Deus

Laércio Coutinho

OBS: Falando em Rio, recomendo o novo CD de Nívea Sores, RIO. Excelente trabalho! 

Anúncios

Lindando com a culpa

Julho 15, 2007

 

Vamos falar sobre assunto tão confrontante e até mesmo difícil de se compreender. Quando estava meditando em Deus, fiquei pensando: “Deus, quero escrever algo que fale primeiramente ao meu coração, algo que também me ajude, não apenas um simples texto que a gente ler aqui e depois esquece.” E ele foi bem claro ao meu coração.  Vamos ao que nos interessa!

O que é culpa?

Segundo dicionário Michaellis: 1.  Ato repreensível praticado contra a Lei ou a moral. 2. Falta, crime, delito, pecado.

Esse sentimento que corrói nossa alma e que muitas vezes nos impede de sermos nós mesmos tem muitas variáveis que dificulta esgotar o assunto. Mas podemos refletir sobre alguns aspectos que nos proporcione uma maior compreensão dos motivos desse sentimento que nos faz sofrer tanto. 

Características de quem sente culpa:

 – Preocupação excessiva com a opinião dos outros;

– Sente-se mal quando recebe algo, pois na verdade não se considera digno de aceitar o que os outros dão;

– Fala repetidamente sobre o que motivou a sentir culpa;

– Raiva reprimida;

– Dificuldade em assumir responsabilidade pelos próprios atos;

– Sente-se rejeitado;

– Busca responsáveis pelo próprio sofrimento;

– Sente-se vítima em algumas, ou muitas, situações;

– Geralmente se pune ficando doente, ou sendo vítima freqüente de acidentes;

– Dificuldade em expressar os reais sentimentos;

– Não consegue falar “não”;

– Necessidade em agradar;

– Sempre fazendo algo pelos outros e raramente para si mesmo;

– Dificuldade em fazer algo só para si;

– Não consegue administrar o tempo, pois está sempre sobrecarregado;

– Baixa auto-estima;

– Falta de amor-próprio;

– Distanciamento de Deus;

– Inconstância;

– Falta de oração, enfim, se for listar, não faltarão características. Mais creio que já deu para entender.

Realmente não há um conceito mais claro do que este, enfim, a culpa nada mais é do que um sentimento de remorso e vazio que invade o nosso ser quando defraudamos algo(seja em qual área for). Muitas vezes entramos em nosso mundo obscuro e ficamos nos remoendo e nos enchendo de “porquês” e ao mesmo tempo cheios da razão. Pois afinal, como dizemos: “A culpa não foi minha, foi a situação que provocou a minha reação!” Muito lindo esse pretexto não é? Na verdade, enquanto procuramos reposta não vamos obter, pois o nosso ego sempre quer ter razão e na maioria das vezes damos total crédito ao mesmo.  São incontáveis às vezes em que erramos e chegamos a Deus, pedindo uma ajuda e socorro, para nos aliviar o fardo. Ele em sua eterna misericórdia nos perdoa. Pouco tempo passa, lá estamos nós de novo. Até quando seremos hipócritas diante de Deus? Até quando iremos suprimir nossas responsabilidades? Até quando vamos viver na filosofia do “sem querer, querendo”? É necessário que haja acima de tudo consciência e responsabilidade diante de nossos atos.  Precisamos ser separados para Deus, certo, Ele é misericordioso, mais quando vamos andar com nossas próprias pernas? Temos que ter maturidade, “independência” diante d’Ele. Para mim, a culpa é o pior sentimento que existe, ela nos deixa desconfortáveis, envergonhados, esquivados diante de situações, amedrontados, enfim, é uma porta para esses outros sentimentos ruins. Mais como livrar-se dela?

1. Remorso

Vamos de novo ao dicionário:  1. Aflição de consciência, por ato mau cometido.

Creio que esse é o método mais rápido de camuflar uma vida sem culpas. Sabe aquele seu “pecado de estimação”? Você apenas o tranca no seu quarto, mais quando sentir saudades, abre a porta e pronto. Remorso é isso, é algo temporário, não traz libertação, vitória, apenas te alivia um pouco. Mais o ruim dele, é que ele não vai te levar a um verdadeiro caminho. Pelo contrário, vai de confundir mais.  Outra dica, apenas com remorso, você não consegue se equilibrar com Deus.

2. Arrependimento: 1. Ato de arrepender-se; pesar sincero de algum ato ou omissão. 2. Contrição. 3. Mudança de deliberação.

Vamos a origem da palavra: A palavra grega que traduzimos como arrependimento é metanoia. É a junção das palavras meta (depois de; seguindo) e noico (pensar). Metanoia significa reconsiderar ou experimentar uma mudança na linha de pensamento. Creio que esse é o melhor  caminho a trilhar. Através dele chegamos ao terceiro ponto, que é a Graça. Quando nos arrependemos passamos a criar nojo pelos nossos atos errados(pecado) e a partir daí temos uma mudança de mente, e a culpa já não pode ter legalidade sobre nossas vidas, ou seja, você não vai ter nenhum “dedinho” lhe acusando. Existe algo melhor? Absolutamente não. A partir do arrependimento damos o primeiro passo para tão sonhada liberdade. “Agora, pois, já não há nenhuma condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus”. Romanos 8.1

3. Graça: 1. Favor, mercê. 2. Benevolência, estima, amizade. 3. Teol. Participação do homem na vida divina antes do pecado. 4. Perdão, indulgência, indulto. 5. Privilégio. 6. Teol. Dom sobrenatural, concedido por Deus como meio de salvação. 7. Agrado ou atrativo nas palavras, maneiras e atitudes de alguma pessoa. 8. Elegância no estilo. 9. Pop. Nome de uma pessoa: Qual a sua graça?

Cheguei onde queria, particularmente, essa palavra me deixa um tanto que excitado. Em suma, a Graça de Deus é um favor imerecido. Ela que nos faz livres, ela que é derramada imerecidamente através do arrependimento. É  o que fez Jesus se entregar na cruz, por mim e por você, e você ainda não faz por onde receber? É disso que precisamos! A Graça, nos faz livres da culpa. Deus tem um plano restaurador para nossas vidas, não importa qual o seu erro ou se é sempre o mesmo erro. Não importa se você já caiu “trocentas” vezes, o que importa é Jesus tem deliberadamente a derramar sobre nós. “… no qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza de sua graça.” Efésios 1:7 

Jesus tem muito mais pra mim e pra você. É apenas o começo de um caminho sem culpas e mágoas. Sim! Já chegou o perdão de Deus. Você é livre, e te cabe caminhar com responsabilidade diante d’Ele.

Muito obrigado, Jesus, pelo Teu amor, perdão, compaixão e graça abundantemente derramada, mesmo sem merecer. O que posso eu te dar a não ser minha vida e tudo que nela há como oferta de gratidão?

No amor daquele que se fez culpado mesmo sendo inocente e através do meu arrependimento me deu deliberadamente sua Graça,

Laércio Coutinho. 

Atitude

Julho 7, 2007

 

Olá amigos! Como prometi estou aqui de volta, debruçando-me sobre esse bem tão precioso chamado escrita.  Parace que nos últimos dias a minha mente fechou, pois não estou conseguindo a concetração necessária para escrever algo que faça algum sentindo. Mais o que tem incomodado meu coração e minha mente é a respeito do comportamento humano no que diz respeito a atitudes.  Sim, isso mesmo, uma coisa que falta em muitas pessoas e por que não dizer em mim.

Uma atitude pode mudar todo um cenário, situação e seja lá o que for que você esteja passando. Quantas vezes queremos adiar as coisas ou revogar ao nosso modo, porém o caminho não é por aí.  Não custa nada rever os erros ou até mesmo acertos e tentar colocar um sabor a mais nas coisas. Tudo nessa vida que nos acontece, seja de bom ou ruim, nós mesmos somos responsáveis pelos resultados. Digo isso por experiência própria. Quantas vezes fazemos coisas e depois nos perguntamos: porque eu não fiz assim? porque eu não fui mais ousado? Porque caí no mesmo erro? Enfim, o universo dos “porquês” invade-nos, mais sabe qual é a resposta? Faltou atitude.  Faltou deixar de olhar as circunstâncias e tomar um passo a frente ou até mesmo ficar parado. Pois há situãções em que melhor coisa a se fazer é manter-se imóvel. Como um simples detalhe faz toda diferença!

É tempo de deixar de pensar na opnião dos outros e pensar em nós mesmos.  Tempo de arriscar, tomar a frente, ousar, atuar, dar sem esperar receber, aceitas críticas que se se encaixem no padrão devido. E o mais importante: Não adiar! Esqueça o amanhã, ele pode não chegar ou pode ser o inverso do que espera. Viva no agora, Estabeleça objetivos de ação imediata, não fique esperando as coisas virem até você!!! Enquanto eu pensei nos outros, eles esqueciam de mim! A partir do momento em que agi, eles passaram a se preocupar em saber qual foi meu segredo.  Está esperando o que? Voe águia!!!

Debaixo de amor derramado sem merecimento,

Laercio Coutinho